Goiânia é a capital com maior índice de satisfação sobre preço da passagem de ônibus, mostra pesquisa

102
terminal

Pesquisa de Qualidade dos Serviços Públicos, realizada pela ONG Agenda Pública entre as capitais brasileiras, mostra que Goiânia ocupa o primeiro lugar do ranking de maior satisfação sobre preço da passagem do transporte coletivo. O valor da tarifa é R$ 4,30, o mesmo desde 2019, graças ao congelamento viabilizado pelo convênio entre a administração da Capital, Governo de Goiás e prefeituras da Região Metropolitana.

Dentre as variáveis avaliadas na pesquisa, o preço da tarifa é a segunda que mais causa insatisfação entre os usuários do transporte público. Salvador e Recife são as capitais com maiores níveis de insatisfação, com 78,3% e 77,9%, respectivamente. Enquanto isso, Goiânia alcançou o nível positivo de 18,2% de satisfação com o preço das passagens, porcentagem superior em comparação à média das outras capitais.

Diante do cenário econômico de incertezas por conta da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Goiânia estabeleceu diálogo com o governo do Estado e prefeituras da Região Metropolitana para garantir o congelamento do valor da passagem.

“Trabalhamos para que a população tenha qualidade de vida e possa acessar plenamente os serviços públicos. Nossa gestão fez e faz questão de que o benefícios cheguem aos usuários do transporte coletivo”, destaca o prefeito Rogério.

A administração da Capital arca com 41,2% no rateio da diferença entre o valor pago e o valor real da passagem, a mesma porcentagem do governo estadual. Sem esse subsídio, a tarifa chegaria a R$ 7,60. Entre os meses de maio de 2022 a setembro de 2023, a Prefeitura de Goiânia já bancou mais de R$ 195 milhões em subsídios para mantê-la nesse valor.

Satisfação

Além do congelamento da passagem, Goiânia é considerada modelo para o país em inovações no transporte público, com a implementação dos cartões Passe Livre do Trabalhador, Bilhete Único e Cartão Família. O pagamento modernizado, com opção de bilhetagem por meio de cartões de crédito ou débito por aproximação, e também Pix, facilitam a rotina de quem utiliza o transporte público coletivo.

O zelador Ricardo Moraes, de 54 anos, utiliza o transporte coletivo para se deslocar entre os empreendimentos atendidos pela empresa empregadora, e para sair com a família aos finais de semana. Ele elogia as iniciativas como o Passe Livre do Trabalhador, demais cartões e o congelamento da tarifa. “Está mais que aprovado, é bom ver que estão trabalhando pensando no povo”, disse Ricardo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui